terça-feira, 14 de janeiro de 2014

As Canalhíadas


AS CANALHÍADAS
I

As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe lusitana
Que agora se encontram instalados
Fazendo o que lhes dá na real gana
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se do quanto proclamaram
Em campanhas com que nos enganaram!

II

E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Do Minho ao Algarve tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte,
Esta falta de vergonha a toda a parte!

III

Falem da crise grega todo o ano!
E das aflições que à Europa deram;
Calem-se aqueles que por engano
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta
Que andarem à solta só me espanta.

IV

E vós, ninfas do Coura onde eu nado
Por quem sempre senti carinho ardente
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!


Luíz Vaz Sem Tostões

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

José Cheta "Partindo-se"

Nascido em 23 de Janeiro de 1945, José Cheta da Silva, mais conhecido como o cantor José Cheta, formou, no Algarve, os Black Gold, na década de 60.

Em 1970 gravou o EP "Para Lá Daqueles Montes", o seu primeiro disco, no qual contou com a colaboração de José Cid e do Quarteto 1111 e, no disco seguinte, também com a colaboração de José Cid e do Quarteto 1111, este integra a canção "Partindo-se", uma das mais belas de José Cheta.



PARTINDO-SE
Senhor, partem tão tristes
Meu olhos por vós, meu bem!
Que nunca tão tristes vistes
Outros nenhuns por ninguém!
Partem tão tristes, os tristes,
Tão tristes e tão saudosos!
Tão doentes da partida,
Tão cansados e tão chorosos!
Da morte mais desejosos,
Cem mil vezes que da vida!
Partem tão tristes, os tristes,
Tão fora de esperar bem!
Que nunca tão tristes vistes
Outros nenhuns por ninguém!

sábado, 4 de janeiro de 2014

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

O Ponto G nas mulheres



O ponto G nas mulheres é nas orelhas.

Diz-lhe o que querem ouvir e tens tudo !